Facebook Twitter YouTube

CUT SE > LISTAR NOTÍCIAS > DESTAQUES > CUT REQUER AOS SENADORES DE SERGIPE QUE VOTEM CONTRA REFORMA TRABALHISTA

CUT requer aos senadores de Sergipe que votem contra reforma trabalhista

11/07/2017

A Central Única dos Trabalhadores de Sergipe encaminhou requerimento aos senadores Amorim, Maria do Carmo e Valadares.

Escrito por: CUT/SE

 

 

A direção da Central Única dos Trabalhadores de Sergipe (CUT/SE) encaminhou um requerimento aos três senadores de Sergipe, nessa terça-feira, 11, solicitando que votem contra o PLC 38/2017 que está pautado, neste mesmo dia, para ser votado no Senado Federal.

 

O ofício foi entregue nos gabinetes dos senadores Antônio Carlos Valadares (PSB), Eduardo Amorim (PSDB) e Maria do Carmo (DEM), em Brasília. No documento, a CUT informa que reúne quase 90 sindicatos filiados à sua base em Sergipe e estes representam milhares de trabalhadores do setor público e privado que discordam da reforma trabalhista prestes a ser votada.

 

A central sindical reforça aos parlamentares que o projeto foi proposto pelo Governo Federal ilegítimo, comandado por Michel Temer, sem nenhum diálogo com as entidades sindicais. “O governo não dialogou exatamente por ser um governo sem legitimidade, que não tem compromisso com a maioria da população. Fruto de um golpe, esse governo não esconde de ninguém que o seu compromisso é apenas agradar a elite que o colocou no poder. A reforma trabalhista tem ideologia política e lado, é um projeto pensado pela classe dominante, o grande empresariado, banqueiros e latifundiários, que querem aumentar seus lucros às custas da redução do valor da mão de obra explorada,” explica o vice-presidente da CUT/SE, Plínio Pugliesi.

 

A CUT informa aos senadores que, em meio ao esse extermínio legislativo pautado atualmente no Congresso, a única concordância da central é com o fim da cobrança compulsória da contribuição sindical – o conhecido imposto sindical. A CUT entende que os sindicatos devem se sustentar com as contribuições estabelecidas pelos próprios trabalhadores. Por isso, a central defende o fim do imposto sindical e sua substituição pela contribuição negocial, a ser cobrada por ocasião das campanhas salariais, com percentual previamente discutido com os trabalhadores e decidido democraticamente em assembleia da categoria.

 

Na Câmara dos Deputados, a maioria dos deputados federais sergipanos votou contra a reforma. André Moura (PSC) e Laércio Oliveira (SD) foram os únicos deputados de Sergipe que votaram para prejudicar a classe trabalhadora. O projeto da reforma trabalhista agora está na Ordem do Dia do Senado para ser votado nessa terça, 11. A CUT espera que todos os senadores sergipanos defendam os interesses da maioria da população e votem contra a reforma que tritura direitos e empobrece os trabalhadores brasileiros.

 

 

 

  • Imprimir
  • w"E-mail"
  • Compartilhe esta noticia
  • FaceBook
  • Twitter

Conteúdo Relacionado

TV CUT
Vagner Freitas durante a abertura oficial do #15CongressoCUT
Vagner Freitas durante a abertura oficial do #15CongressoCUT

Fala do presidente nacional da CUT na abertura oficial do #15CongressoCUT

RÁDIO CUT

Copyright © 2002-2012 CUT Central Única dos Trabalhadores | 3.438 - Entidades Filiadas | 7.464.846 - Sócios | 22.034.145 - Representados
Rua Porto da Folha, nº 1039 – Bairro Cirurgia – CEP: 49055 540 – Aracaju/SE | Tel.: (79) 3214-4912 – Fax: (79) 3222-7218