Facebook Twitter YouTube

CUT SE > LISTAR NOTÍCIAS > DESTAQUES > AÇÃO DO SINDIJOR CONDENA CORREIO DE SERGIPE A PAGAMENTO DE MULTAS E DANOS MORAIS

Ação do SINDIJOR condena Correio de Sergipe a pagamento de multas e danos morais

01/03/2018

Escrito por: Assessoria SINDIJOR

 

O Tribunal Regional do Trabalho da 20ª Região, através da 9ª Vara do Trabalho de Aracaju, atendendo ação impetrada pelo Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de Sergipe (SINDIJOR-SE), entidade de classe que representa os Jornalistas e o Jornalismo em Sergipe, condenou a Indústria Gráfica Tribuna de Aracaju LTDA (Correio de Sergipe) por danos morais e desrespeito à Convenção Coletiva de Trabalho dos Jornalistas/Jornalismo e à Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

 

A ação questionava o pagamento do FGTS e da multa rescisória fora do prazo estabelecido pela lei trabalhista, bem como indenização por danos morais a um grupo de cinco jornalistas demitidos pelo jornal no dia 22 de novembro de 2016.

 

Convencionado das provas apresentadas pelo SINDIJOR, o juiz Horácio Raymundo de Senna, condenou o Jornal Correio de Sergipe a multas por atraso no pagamento do FGTS e da multa rescisória de 40%. A empresa havia feito os depósitos fora do prazo legal, mesmo o Sindicato tendo notificado o jornal sobre as irregularidades. 

 

Com a decisão judicial, a empresa jornalística foi condenada a pagar a cada um dos jornalistas representados pelo SINDIJOR a multa prevista no art. 477 da CLT, obedecendo a maior remuneração mensal de cada um dos trabalhadores.

 

“Nesse sentido, ao atrasar a liberação do saldo constante nas contas vinculadas dos empregados substituídos, a reclamada impingiu-lhes situação vexatória, de penúria, de verdadeiro desespero. Os empregados permaneceram por quase dois meses sem condições reais de manutenção da família”, observa o jornalista Guilherme Fraga, diretor Jurídico e de Saúde do SINDIJOR, que auxiliou o advogado Diego Trindade, assessor Jurídico do Sindicato.

 

Para o presidente do SINDIJOR, Paulo Sousa, a ação visa proteger os direitos dos jornalistas estabelecidos nas mais diversas regulamentações da classe. 

 

“Nossa gestão tem se atentado bastante às regulamentações da profissão e a CLT a fim de proteger os direitos dos jornalistas profissionais. Temos buscado sempre o diálogo, o consenso, mas quando as negociações se esgotam e não se chega a um entendimento, não nos resta alternativa a não ser ingressar com ação na Justiça para proteger a categoria dos abusos patronais”, salienta Paulo Sousa.

 

Danos Morais

O SINDIJOR também solicitou da Justiça Trabalhista indenização por danos morais aos jornalistas, mediante o constrangimento e inviabilidade econômica dos profissionais da imprensa para cumprir com suas obrigações.

 

“Assim, como se verifica, inegável é o dano moral sofrido pelos empregados. Portanto, defiro o pedido para condenar o reclamado no pagamento de indenização por danos morais, que ora fixo em R$ 5 mil para cada um dos trabalhadores, valor razoável e proporcional ao dano sofrido”, conclui o magistrado na sentença.

 

A empresa, que também é proprietária da Rádio Jornal AM, ainda foi condenada a pagar os honorários advocatícios do assessor jurídico do SINDIJOR em 15% do valor total da sentença.

  • Imprimir
  • w"E-mail"
  • Compartilhe esta noticia
  • FaceBook
  • Twitter

Conteúdo Relacionado

TV CUT
João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta solidariedade a sindicalistas coeranos presos.
João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta solidariedade a sindicalistas coeranos presos.

João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta(...)

RÁDIO CUT

Copyright © 2002-2012 CUT Central Única dos Trabalhadores | 3.438 - Entidades Filiadas | 7.464.846 - Sócios | 22.034.145 - Representados
Rua Porto da Folha, nº 1039 – Bairro Cirurgia – CEP: 49055 540 – Aracaju/SE | Tel.: (79) 3214-4912 – Fax: (79) 3222-7218