Facebook Twitter YouTube

CUT SE > ARTIGOS > GREVE HERÓICA NOS CORREIOS

Greve heróica nos Correios

Escrito po: Julio Turra, diretor executivo da CUT Nacional

24/10/2011

Depois de 28 dias de greve, os trabalhadores nos Correios terminaram seu movimento de cabeça em pé e com conquistas parciais.A postura anti-sindical da direção da ECT, bancada pelo ministro das Comunicações e pelo próprio governo federal, de...

Depois de 28 dias de greve, os trabalhadores nos Correios terminaram seu movimento de cabeça em pé e com conquistas parciais.

A postura anti-sindical da direção da ECT, bancada pelo ministro das Comunicações e pelo próprio governo federal, de negar-se a negociar com a categoria em greve e descontar dias parados, não conseguiu arrefecer o movimento. Ao contrário, a força da greve obrigou o presidente dos Correios Wagner Pinheiro a voltar à mesa de negociação.

Diante do impasse, pois os trabalhadores rejeitaram a nova proposta da empresa, pois ela insistia no desconto dos dias parados, o dissídio foi à Justiça do Trabalho.

Numa vitória moral dos trabalhadores, os juízes não tiveram como dizer que a greve era abusiva ou ilegal, mas, contraditoriamente, mandaram descontar 7 dias (a ECT já tinha descontado 6 e queria descontar todos os dias de greve) e compensar os outros 21 dias de paralisação.

Na parte econômica, a greve obrigou o governo a aumentar a proposta de aumento linear de 50 reais para 80 reais, com reajuste de 6,89%, melhorando também o ticket.
 
QUE BALANÇO TIRAR?

Ficou evidente que a política do governo Dilma, alegando o repique da crise mundial, de endurecer as negociações salariais nas empresas e serviços públicos é que foi o pano de fundo da postura intransigente e anti-trabalhador da ECT e Ministério!

Não foi para isso que os trabalhadores votaram neste governo e é hora de exigir que ele aplique outra política, uma política que priorize salário e emprego para defender o Brasil dos efeitos da crise do capitalismo mundial, e não a atual política de juros altos e benefícios aos grandes empresários privados!

A força da classe trabalhadora, com suas organizações como a Fentect e a CUT – cuja Plenária nacional realizada entre 4 e 7 de outubro apoiou incondicionalmente as greves dos Correios e dos companheiros bancários – é que pode exercer a pressão necessária sobre o governo Dilma para que adote outra política!

A começar por interromper a tramitação do PLV 21 (ex MP 532), que abre a via pra a privatização com a proposta de Correios S/A.

É preciso evitar agora o canto da sereia da divisão da categoria entre “governistas” e “oposicionistas”, afinal todos são trabalhadores da ECT e todos fizeram greve contra a direção da empresa e o governo que a orienta.
Os que propõem rachar a FENTECT, ligados à Conlutas, confundem sindicato com partido político, e assim prestam um desserviço à toda a categoria.

Esta histórica greve demonstrou também que não se pode continuar organizando as campanhas salariais a partir de um Comando nacional constituído de 7 dirigentes a partir de um loteamento entre tendências. Não, um Comando tem que ser a expressão do movimento real que se expressa nas bases, eleito nas assembleias de grevistas e por eles controlado.

É preciso que a FENTECT tenha um funcionamento que privilegie as instâncias sindicais, e não os grupos políticos, para que a unidade e o respeito às decisões das bases prevaleçam.

Essa é a nossa contribuição para o necessário balanço da greve de 28 dias nos Correios!

Fonte: Julio Turra, diretor executivo da CUT Nacional
  • Imprimir
  • w"E-mail"
  • Compartilhe esta noticia
  • FaceBook
  • Twitter

Conteúdo Relacionado

TV CUT
Tutorial: Saiba como participar da campanha pela anulação da Reforma Trabalhista
Tutorial: Saiba como participar da campanha pela anulação da Reforma Trabalhista

#AnulaReforma

RÁDIO CUT

Copyright © 2002-2012 CUT Central Única dos Trabalhadores | 3.438 - Entidades Filiadas | 7.464.846 - Sócios | 22.034.145 - Representados
Rua Porto da Folha, nº 1039 – Bairro Cirurgia – CEP: 49055 540 – Aracaju/SE | Tel.: (79) 3214-4912 – Fax: (79) 3222-7218