Facebook Twitter YouTube

CUT SE > ARTIGOS > 25 DE NOVEMBRO DIA DA NÃO VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER

25 de novembro Dia da Não Violência Contra a Mulher

Escrito po: Fórum de Mulheres Glorienses

27/11/2017

 
 
A Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), em 1960, instituiu 25 de novembro como o Dia Internacional da Não-Violência Contra a Mulher, em homenagem às “Mariposas”. 
 
No dia 25 de novembro de 1960, as irmãs Minerva, Patria e Maria Teresa, conhecidas como “Las Mariposas”, foram brutalmente assassinadas pelo ditador Rafael Leônidas Trujillo, da República Dominicana. As três combatiam fortemente aquela ditadura e pagaram com a própria vida.
 
O Dia Internacional da Não Violência Contra a Mulher é uma forma de provocar que a sociedade reflita sobre as mais diversas situações de violência em que vivem a maioria das mulheres em todo o mundo.
 
Entre as diversas situações de violação dos direitos que as mulheres mundialmente estão submetidas, estão a mutilação genital que é realizada em cerca de 3 milhões de meninas e mulheres por ano (fonte: UNICEF); 52% das mulheres economicamente ativas já sofreram assédio sexual no ambiente de trabalho (OIT); 70%  já sofreram ou sofrerão algum tipo de violência em, pelo menos, um momento de suas vidas — independente de nacionalidade, cultura, religião ou condição social (ONU).
 
No Brasil essa violência se expressa nos seguintes dados:  43% das mulheres em situação de violência sofrem agressões diariamente; em média, a cada 11 minutos uma mulher é estuprada no nosso país. As mulheres ganham, em média,  76% da renda dos homens (fonte: IBGE). 
 
Em Nossa Senhora da Glória - Sergipe - a principal expressão da violência contra a mulher é no âmbito doméstico. De acordo com a Secretaria do Estado de Segurança Pública, a Coordenadoria Estadual Políticas Públicas para as Mulheres e a Coordenadoria Municipal de Políticas para as Mulheres, o município ocupa o 2º lugar na Região do Alto Sertão em violência doméstica contra as mulheres e o 7º lugar no estado. No período de 2014 a 2017, sendo registrados 70 casos de violência doméstica e 3 casos de feminicídios.
 
A violência é uma realidade presente na vida das mulheres brasileiras e no mundo, em todas as suas esferas: no ambiente familiar, no mercado de trabalho e na rua.
 
Por isso, a importância das organizações feministas e de mulheres que lutam, diuturnamente, pela eliminação de todas as formas de violência contra a mulher. E a importância de reivindicar que o Estado promova políticas públicas de igualdade de gênero. 
  • Imprimir
  • w"E-mail"
  • Compartilhe esta noticia
  • FaceBook
  • Twitter

Conteúdo Relacionado

TV CUT
Tutorial: Saiba como participar da campanha pela anulação da Reforma Trabalhista
Tutorial: Saiba como participar da campanha pela anulação da Reforma Trabalhista

#AnulaReforma

RÁDIO CUT

Copyright © 2002-2012 CUT Central Única dos Trabalhadores | 3.438 - Entidades Filiadas | 7.464.846 - Sócios | 22.034.145 - Representados
Rua Porto da Folha, nº 1039 – Bairro Cirurgia – CEP: 49055 540 – Aracaju/SE | Tel.: (79) 3214-4912 – Fax: (79) 3222-7218